Neste capítulo, vamos conversar sobre como as histórias são uma moldura importante através da qual damos sentido as nossas vidas. Em cada leitura e vídeo, convidamos você a ficar atento(a) às várias histórias de vida das pessoas, em vez de uma única história.

 


Este exercício de Jill Freedman e Gene Combs foi animado por Will Sherwin para te ajudar a visualizar o conceito de Terapia Narrativa de “vidas multi-históriadas“.

Para mais de Jill e Gene, você pode visitar a página narrativetherapychicago.com.

Para mais informações sobre Will Sherwin e Recursos de Terapia Narrativa da Bay Area, treinamentos e programas de rádio, você pode visitar sfbantr.org.


A novelista Chimamanda Adichie chama atenção  para o fato que, se ouvirmos apenas uma única história sobre outra pessoa ou país, corremos o risco de um mal-entendido crítico. Em “O perigo de uma única história”, ela fala sobre como nossas vidas e nossas culturas são compostas de muitas histórias sobrepostas.


Incluímos aqui uma parte do texto influente e altamente popular de Alice Morgan, no qual ela fornece uma breve introdução à metáfora narrativa.

“O que é Terapia Narrativa?” Uma Introdução Fácil de Ler | Alice Morgan


Neste breve trecho, Michael White fala sobre as possibilidades que a metáfora narrativa abriu em seu trabalho terapêutico, o que o atraiu para a metáfora narrativa e oferece um exemplo de como a metáfora narrativa molda as conversas terapêuticas.

A Metáfora Narrativa na Terapia de Família | Uma entrevista com Michael White 


Qual é a narrativa de nossas vidas – e podemos influenciar a forma como nossa história é contada? Michael White e Barbara Brooks, uma escritora de memórias, se juntam à produtora Gretchen Miller em uma conversa na Radio Nacional e Online ABC, para falar sobre as grandes narrativas de nossas vidas e sobre quanta influência nós temos sobre a maneira como nossa história se desenvolve.

“O Poder de Contar Histórias”


Este capítulo propõe uma estrutura para considerar os direitos de contar histórias. Esperamos que isso desencadeie discussões sobre os direitos das pessoas que sofreram traumas / sofrimento social em relação a como suas histórias são contadas e recebidas.

“Terapia Narrativa | Um Capítulo do Direito de Contar Histórias, por David Denborough”

Declaração da Terapia Narrativa sobre o direito de contar histórias

  1. Todos tem direito de definir suas experiências e problemas com suas próprias palavras e termos
  2. Todos possuem o direito de compreender suas vidas com base no que já viveram e com base em suas relações com as outras pessoas.
  3. Todos têm o direito de convidar outras pessoas que são importantes para o processo de refazer suas vidas depois de um momento difícil
  4. Todos nós temos o direito de ficar livres de ter os problemas causados por traumas e injustiças localizados dentro de nós, internamente, como se tivéssemos alguma deficiência. A pessoa não é o problema, o problema é o problema.
  5. Todos têm o direito de ter sua resposta/ação reconhecida quando vivem um momento difícil. As pessoas sempre respondem/agem quando surge uma dificuldade em suas vidas.
  6. Todos têm o direito de ter suas habilidades e conhecimentos de sobrevivência respeitados, honrados e reconhecidos.
  7. Todos nós temos o direito de saber que aquilo que aprendemos quando vivemos momentos difíceis pode contribuir para a vida de outras pessoas em situações semelhantes.

Para refletir:

Como você descreveria a metáfora narrativa?

Pensando sobre as histórias dessa maneira, o que passa a ser possível para você?


Por favor, compartilhe seus pensamentos e reflexões abaixo antes de prosseguir para o próximo capítulo!

Não se esqueça de incluir de onde você está escrevendo (cidade e país). Obrigado!